PROPAGAÇÃO DE SUCULENTAS

1º PASSO: SUBSTRATO DE ENRAIZAMENTO

O substrato ideal para o enraizamento das suculentas deve ser poroso, leve, não reter umidade e ser de fácil manuseio. O mais usado para o enraizamento de mudas e estacas de suculentas é a areia lavada de construção (deve ser peneirada para retirar os grumes de argila e pedriscos grandes). Em uma bandeja furada no fundo, deve ser colocada uma camada de 1 cm de brita 0 ou pedriscos, em seguida, preencher até a borda com a areia lavada. Apertar e molhar para retirar os espaços com ar, preencher novamente com areia para manter a uniformidade da bandeja. Usar somente a areia.

IMPORTANTE: Aprendi que o estresse que a planta sofre pela ausência de nutrientes da areia acelera o crescimento radicular e a formação das mudas.

No caso dos cactos e suculentas, elas são plantas nativas de regiões secas, sejam desertos ou montanhas rochosas, plantas de região de stress e que a falta de água, baixo teor de nutrientes e tolerância a esses stress (água, calor, frio, ventos) já fazem parte da genética da planta.

Por isto, logo que germinarem as novas mudas devem ser colocadas em vasos, agora sim no composto preparado (seco, moído, peneirado e isento de plantas daninhas) para receberem os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento

2º PASSO: PREPARAÇÃO DAS NOVAS MUDAS

As folhas que serão usadas na propagação devem ser destacadas na base do caule da planta matriz. É importante ficar atento neste processo pois algumas folhas quebram com facilidade antes da base. É justamente na base que serão formadas as raízes e a muda.

Pra escolher a folha: ela já deve estar adulta e bem carnosa, sem aparência enrugada, ou amarelada. Essa folha vai ser a reserva da sua muda até que ela possa produzir sozinha seu próprio alimento.

As estacas laterais devem ser cortadas na lateral do caule. É importante tomar cuidado caso seja feito o arranquio para não necrosar o caule da planta. O ferimento no caule é uma porta aberta para entrada de doenças e também para a desidratação da planta matriz. Se houver um ferimento no caule, deve-se pulverizar o lugar com canela em pó para que seja feita a cicatrização do lugar lesionado.

Quando a planta emitir uma haste floral, as folhas da haste e a própria haste, também são mudas que podem ser enraizadas.

escolhendo a folha                                          Fonte da Foto: http://terral.agr.br/

3º PASSO: DESENVOLVIMENTO NA AREIA

3.1 – Usando “filhotes da planta mãe

mudas.jpg

O plantio das estacas laterais na areia deve ser feito de forma simples. Deve-se fazer um buraco com um lápis, enfiar o caule da suculenta, apertar em volta para firmar e molhar a areia em seguida. Leva-se em torno de 20 dias para as mudas estarem enraizadas e aptas para o plantio no vaso individual. Após esse prazo deve-se, molhar a areia ou com uma faca, afofar a areia ao redor da muda e puxar levemente para que ela saia com raízes. Não é necessário lavar a areia que fica grudada no sistema radicular das mudas. Após a formação radicular, as mudas tem condições de absorver os nutrientes que compõe o condicionador de solo e crescer mais saudáveis e bonitas.

3.1 – Usando as folhas

No caso das folhas da planta matriz, deve-se deixar as folhas sobre a areia, não é necessário plantar a folha, há um sério risco da mesma melar. Após cerca de 7 dias, inicia-se a formação radicular. Algumas espécies formam raízes antes e outras após esse período de 7 dias. Após as raízes crescerem.  Portanto não se assuste, a folha que foi destacada, após brotar vai murchar completamente, pois ela está alimentando o brotinho. Esse broto só estará maduro para o vaso individual quando a folhinha que o gerou secar naturalmente.

4º PASSO: PLANTIO NO VASO INDIVIDUAL

Após a mudinha estar formada e a estaca  enraizada deve-se fazer o plantio no vaso individual para o desenvolvimento da mesma. O plantio é feito da mesma forma que qualquer planta. Deve-se colocar um drenante no fundo do vaso (brita, seixo, caco de telha, argila expandida, etc.), plantar a muda, apertar em volta para firmá-la, molhar e deixar em uma área sombreada até o crescimento e formação de novas folhas e brotos. Após o crescimento, deve-se colocar o vasinho no sol para adaptação e mudança de cor das folhas. Após o inicio de brotação de novas folhas, deve-se iniciar a adubação foliar nas mesmas para acelerar o desenvolvimento da muda no vaso individual. É importante hidratar a planta pelo menos 1 vez a cada 7 dias.

vaso

5º PASSO: CONDIÇÕES IDEAIS DE CRESCIMENTO

O vaso com as folhinhas deve ficar em local onde receba apenas a claridade. O sol direto queima os brotinhos e raízes novas. É importante na hora de molhar, umedecer apenas o substrato. A folhinha possui água e nutrientes suficientes para produzir raízes e o novo broto. Se receber água em excesso, corre o risco de melar e apodrecer o broto. Proteja o vaso da chuva.

 

Créditos

http://terral.agr.br/

http://jardimdagrasi.blogspot.com.br/

 

 

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. Mariana disse:

    aprendi rsrsrsr

  2. Tais disse:

    excelente explicação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s